Os 11 países que mais odeiam cristãos no mundo

/, Libertarianismo/Os 11 países que mais odeiam cristãos no mundo

Os 11 países que mais odeiam cristãos no mundo

Por Luan Sperandio*

Um em cada 12 cristãos no mundo vive em países onde a prática da sua religião é proibida. Nesses lugares, quem segue Jesus sofre perseguições, hostilidade e violência.

A maior pauta de quem apreciava liberdade no século XVII, tendo como grande expoente John Locke, era a separação entre estado e igreja, possibilitando liberdade de pensamento e crença, além de tolerância religiosa.

Mas em pleno século XXI ainda há dezenas de países em que preconceitos e discriminações religiosas se transformam em políticas de estado graças à força e ao aparato estatal. Este texto trata especificamente da hostilidade aos cristãos.

Apenas no ano passado, ao menos 3 mil praticantes do cristianismo foram mortos e mais de 700 igrejas foram depredadas, segundo a edição de 2020 do “World Watch List”.

Feito pela Open Doors USA, o relatório lista os 50 países onde os cristãos são mais severamente oprimidos. Pelo décimo ano consecutivo, a Coreia do Norte lidera o ranking, seguida de países em que o extremismo islâmico “é o principal e dominante motor da perseguição”.

Afinal, Liberdade nada mais é que a possibilidade de poder ser quem você é, o que inclui liberdade de pensamento e de professar a sua fé (desde que não agrida a ninguém).

Listamos aqui, os 11 primeiros colocados da lista, que entraram na categoria de “perseguição extrema” do ranking.

1. Coréia do Norte

A liberdade de religião é prevista na constituição norte-coreana. Apesar disso, qualquer tipo de fé é reprimida pelo regime.

De acordo com a CIA, o governo financia grupos religiosos para manter a ilusão de liberdade de crença.

Entre as religiões perseguidas, o cristianismo é particularmente mais reprimido. O grupo católico Aid to the Church in Need estima que desde 1953, mais de 200 mil cristãos desapareceram no país.

Poucas informações saem sobre o regime de Kim Jong-un, mas há noticias de prisões e até execuções para pessoas descobertas praticando atividades religiosas ou em posse de uma bíblia.

2. Afeganistão

A República Islâmica do Afeganistão não reconhece o cristianismo no país, e a tolerância a não islâmicos é vista como inconsistente com a religião oficial da nação.

E, apesar de não existirem leis expressas proibindo o cristianismo, apostasia, ateísmo e blasfêmia são crimes que podem levar à pena de morte.

3. Somália

Submetido à lei islâmica, embora a repressão estatal não seja considerada violenta, cristãos convertidos do islamismo são vistos como alvo pelo grupo terrorista al-Shabaab.

4. Líbia

Com 97% da população muçulmana, não há muito espaço para cristãos. A Líbia está em 162° na lista de 180 países do Índice de Liberdade de Imprensa.

Não é um país que valoriza a expressão e, por consequência, o cristianismo sofre pressão por parte da sociedade, até mais do que pelo governo, que é negligente com perseguições aos cristãos.

5. Paquistão

Nesse país sul-asiático, pouco mais de 2% da população é cristã. De acordo com a Open Doors, as igrejas cristãs são monitoradas, frequentemente alvo de ataques de extremistas.

Além disso, indivíduos cristãos são desproporcionalmente afetados pelas leis anti-blasfêmia, infrações que podem ser punidas com multa, prisão e até pena de morte.

6. Eritreia

Apesar de ser de maioria cristã, o país do chifre africano é um dos que mais oprime outros cristãos. Isso se dá porque o governo somente reconhece algumas denominações religiosas, e as que não são registradas são proibidas.

Várias pessoas pertencentes à denominações como Testemunhas de Jeová e a Igreja Adventista do Sétimo Dia estão presas, sem acusações oficiais.

7. Sudão

Nesse país em que apedrejamentos, chibatadas e crucificação ainda são parte da lei, muçulmanos que se convertem ao cristianismo estão sujeitos a pena de morte por apostasia. 

8. Iémen

A guerra civil do país árabe piorou a situação de quem não segue a religião islâmica. De acordo com a ONU, o país é o com mais pessoas que necessitam de ajuda humanitária no mundo.

Lá, a lei de Shária é a fonte de toda a legislação, e estima-se que há apenas 400 indivíduos que se converteram do Islã para o cristianismo, visto que isso é ilegal e punível com pena de morte.

9. Irã

Apesar do cristianismo ser reconhecido como minoria religiosa pelo governo, e ter assentos reservados no parlamento iraniano, apostasia ainda é crime punível com morte.

Apesar disso, recentemente não houveram casos de pena capital por apostasia, “somente” prisões.

10. Índia

Em 2012, a Índia estava na 31ª colocação no ranking de 50 países que mais perseguem cristãos. No relatório de 2019, ela foi colocada na décima colocação.

As tensões entre hindus e cristãos — 80% e 2,3% da população, respectivamente — cresceram consideravelmente na última década.

O motivo por trás da violência hindu é o nacionalismo indiano e a associação do hinduísmo como pertencente a Índia.

Para boa parte do povo indiano, a fé em deuses não hindus é vista como um ataque à identidade nacional e é considerada “adoração à deuses estrangeiros”.

11. Síria

O país árabe está em guerra civil desde 2011. Os cristãos sírios, que são um décimo da população, vivem sob o medo de serem perseguidos por grupos terroristas que também querem tomar o poder, como o Estado Islâmico.

Embora a perseguição a cristãos não se dê na forma de assassinatos ou ataques, como em outros países da lista, o constante risco de uma derrubada do governo por algum grupo terrorista coloca a Síria como um dos países em que se é mais difícil ser cristão no mundo.

*Luan Sperandio é Diretor de Conteúdo do Ideias Radicais

Gostou do artigo? Então apoie o Ideias Radicais! Apoiadores recebem vários benefícios, entre eles uma carta mensal sobre o que o Ideias Radicais está fazendo, além de webinars com a equipe.

Por | 2020-02-05T09:33:41-03:00 05/02/2020|Direito, Libertarianismo|Comentários desativados em Os 11 países que mais odeiam cristãos no mundo