Missão, visão e valores: como definir este conjunto ajuda o seu grupo de estudos

Possuir um conjunto de missão, visão e valores bem estabelecido é um grande passo em direção a um engajamento voluntário alto e de maior espontaneidade para o seu grupo de estudos.

Além disso, essas ferramentas fornecem as bases para o auto-engajamento de seus integrantes. Afinal, por meio delas, é possível compreender o significado de estar alí e participar do grupo, pois há um panorama claro do projeto que estão construindo e quais as vias para se chegar lá.

Muitas vezes, a resposta para aumentar o comprometimento de seus voluntários encontra-se em uma melhor gestão e no treinamento de suas lideranças.

Entretanto, existem outros mecanismos que não necessitam de interferência direta, supervisão ou coordenação, para que este mesmo intuito seja alcançado.

Uma vez institucionalizado, este conjunto de fatores passivos permanece fornecendo apoio às iniciativas de engajamento para todos em um grupo. Afinal, estes atraem, inspiram e motivam continuamente os voluntários.

Não à toa, estão no centro de todas as organizações sem fins lucrativos de sucesso. Portanto, possuir missão, visão e valores bem definidos proporciona vantagens absolutas durante o desenho, composição e execução de planejamentos.

Para tanto, porém, é preciso conhecer estes três elementos antes de debater quais são estes dentro do seu grupo.

Missão

A missão organizacional define o escopo de trabalho, ou ações, do grupo. A partir dela, compreendemos quais projetos devem ser executados ou eliminados. Este elemento provê o propósito ou o porquê de a organização existir.

A missão, portanto, é a principal ferramenta de direcionamento das atividades para os voluntários. Sempre que um novo projeto for idealizado, ele deverá passar primeiro pelo crivo deste elemento: um projeto eficaz é aquele que cumpre com a missão organizacional em algum nível.

Quando bem definida, a missão oferece um grau de liberdade para personalização e gera independência para que diferentes setores desenvolvem novos projetos, com menos conflito inerente.

Nesse sentido, esta precisa ser acurada para definir bem o escopo de atividades, porém abrangente o suficiente para manter-se flexível. Ou seja, ela não deve ser constituída a partir do produto que o grupo produz, mas sim do porquê de ele existir.

Um exemplo de uma missão organizacional bem definida é o caso da Vectors Health Programs of Eureka, na Califórnia, empresa especializada em procedimentos médicos para as mãos.

Antes, sua declaração de missão simplesmente descrevia as atividades da organização: prover tratamento médico para pessoas que sofreram lesões ou outros problemas em suas mãos.

Assim, quando a diretora executiva questionou o motivo daquela missão, “porque pessoas possuem mãos” e “porque todo mundo precisa utilizar as mãos no dia a dia” foram algumas das respostas.

Não satisfeita, ela ordenou que fosse escrita uma declaração de missão que contivesse o porquê da organização fazer aquilo, e não somente o que ela fazia. O resultado produzido foi:

“Depois da face, as mãos são a forma mais importante que temos de nos expressar. Nós nos comunicamos, trabalhamos, divertimos, confortamos e amamos com elas. Uma lesão na mão afeta todos os aspectos de sua vida. Aqui, na Vector Health Programs, nós retornamos às pessoas o uso de suas mãos.”

Visão

Por outro lado, a visão demonstra o resultado do impacto organizacional no dia em que a missão for “concluída”. Porém, para ser eficaz, ela tem que ser visível, em resposta à pergunta: caso nosso grupo concluísse seu propósito organizacional, como seria o resultado?

Sua função é a de sincronizar todos os membros do grupo. Bem como, inspirar e motivar, transformando as atividades operacionais monótonas em algo imbuído de significado.

Um pedreiro trabalha na construção de um muro, enquanto outro constrói uma catedral. Qual dos dois você acredita que possuirá maior engajamento e desempenho na execução de seu trabalho?

Grandes exemplos de visões são a de Bill Gates, no comando da Microsoft, “Um computador em cada escritório e em cada lar” e a do líder político Martin Luther King Jr: “Um mundo onde crianças negras e brancas possam dar as mãos e caminhar juntas como irmãos e irmãs“.

Ao recrutar voluntários, buscar apoiadores ou pedir doações, não há substituto para a capacidade de comunicar envolver outras pessoas com a sua visão.

Valores

O conjunto de valores organizacionais é aquele que nos auxilia na execução dos processos. Afinal, estes elementos determinam nossa postura em momentos de crise, são princípios para tomadas de decisão e ajustam quais comportamentos são incentivados ou recriminados dentro do grupo.

Se parte dos valores é cooperação e lealdade, um voluntário que passa por cima dos outros não deve ser tolerado sob hipótese alguma, mesmo que possua a melhor capacidade de entrega dentro do grupo.

Simultaneamente, se um valor fundamental da instituição é a entrega de resultados com alta qualidade, não é admissível voluntários que possuam capacidade de entrega inferior a estes padrões. Inclusive, por mais que eles sejam obedientes e comprometidos.

Na prática, manter-se fiel a seus valores organizacionais é uma medida de integridade. Grupos que não agem conforme seus próprios valores perdem total credibilidade perante seus membros, deixando-os livres para tomarem atitudes conforme lhes for conveniente.

Portanto, valores partem da liderança e formam lideranças, sendo, por fim, os elementos que atraem ou repelem novos voluntários.

Benefícios deste conjunto a seu grupo de estudos

Missão, visão e valores compõem o núcleo de uma gestão efetiva em grupos voluntários, pois permeia todas as etapas dos processos organizacionais: da concepção à entrega de um evento ou outra atividade.

Vale ressaltar, que é a partir deste conjunto que se inicia o processo engajamento espontâneo. Uma vez institucionalizado, os voluntários sentem-se direcionados a agir pelo simples desejo de fazer parte daquele ambiente.

E o resultado? Mais atividades são realizadas, porque os voluntários compreendem melhor o escopo de seu trabalho e se situam melhor sobre o que podem e devem fazer.

Consequentemente, mais dinheiro é arrecadado pelo fundraising, pois os resultados a longo prazo são percebidos pelos doadores de forma muito mais clara.

Além disso, resulta também em mais voluntários satisfeitos, que vão permanecer e atrair novos integrantes. Afinal, todos estarão reunidos em um espaço alinhado com seus valores pessoais, cercados de pessoas que estão em busca de um mesmo propósito.

Gostou do artigo? Então apoie o Ideias Radicais! Apoiadores recebem vários benefícios, entre eles uma carta mensal sobre o que o Ideias Radicais está fazendo, além de webinars com a equipe.

, , , , , , , , ,

Renato Diniz

Por:

Analista de Lideranças no Ideias Radicais.

Relacionados