8 maneiras para você conseguir ler todos os livros que gostaria

Muitos de nós reclamam que não têm tempo suficiente para ler livros. No entanto, a verdade é que temos sim tempo. 

Pense em quantas notificações; e-mails de trabalho e pessoais; manchetes de notícias; feeds de blog, tweets e comentários do Instagram que você está lendo todos os dias. Para ler mais livros, você precisa cortar um pouco disso de sua vida. 

Nesse sentido, comece tornando seu telefone menos viciante. Por exemplo, coloque seu telefone no modo de escala de cinza e mova todos os aplicativos para fora da tela principal. Em seguida, pare de seguir todas as notícias. E, por fim, não leia livros em um dispositivo que pode fazer outras coisas.

Ler livros reais, no papel, permite que você seja o diretor completo do show. Isso porque, dessa forma, nenhuma voz substitui sua voz mental; nenhuma formatação ou tela afeta as intenções artísticas do escritor; e nenhum aviso ou alerta o distrai de um mergulho profundo no texto.

Os benefícios de ler mais são claros. Afinal, a leitura ativa os nossos neurônios-espelho e abre as partes do cérebro responsáveis ​​por desenvolver empatia, compaixão e compreensão. Assim, ler é um exercício capaz de torná-lo um líder, professor, pai e irmão melhor. Portanto, continue virando a página.

Você precisa ler mais livros

Quando digo isso às pessoas, a maioria diz: “Oh, sim, com certeza, sim”. Mas então, dois segundos depois, eles dizem: “Eu só queria ter tempo.”

Bem, quer saber? Estou invocando travessuras com essa desculpa. Porque a verdade é que nós temos tempo. Um relatório da Universidade da Califórnia mostrou que estamos consumindo mais informações agora do que antes. O equivalente a mais de 100 mil palavras por dia. 

Além disso, em um artigo anterior da HBR chamado “8 maneiras de ler (muito) mais livros este ano”, contei como, na maior parte da minha vida adulta, li cinco livros por ano, no máximo. Eu tinha alguns na minha mesa de cabeceira e costumava ler outros nas férias, se tivesse sorte.

Há três anos atrás, porém, li 50 livros ao longo de 12 meses! Eu não quase não acreditei. De repente, eu pude sentir que os livros se tornaram um dominó conduzindo a um marido melhor, um pai melhor e um escritor melhor.

Agora estou lendo algo acima de 100 livros por ano. Claro, às vezes eu ainda caio em buracos negros da mídia social. Mas acontece com muito menos frequência do que antigamente.

Portanto, aqui estão oito coisas que faço para voltar aos trilhos da leitura, e que podem ser úteis para você também.

1. Viva rodeado por livros

A maioria das pessoas tem uma estante “ali”, onde ficam os livros. Eu também tenho. Ano passado, contudo, minha esposa jogou uma pilha de cerca de dez livros ilustrados no meio da mesa de centro. Sabe o que aconteceu? Nossos filhos começaram a folheá-los o tempo todo.

Desde então, nós apenas trocamos os exemplares vez ou outra e os deixamos lá. É um princípio do caminho da menor resistência, muito parecido com o modo como o Google deixa lanches saudáveis ​​no balcão para os funcionários, enquanto os chocolates ficam escondidos em potes de biscoitos.

Assim, levamos a TV no porão, instalamos uma estante perto de nossa porta da frente e colocamos os livros em bolsas de assento de carro e vários cantos ao redor da casa. Certa vez, o escritor argentino Jorge Luis Borges disse: “Não consigo dormir se não estiver rodeado de livros”. Pois é assim que escolhemos viver agora.

Por outro lado, caso você esteja tentando organizar sua casa ou não tenha muito espaço para armazenar livros, ainda há uma solução. Afinal, você sempre pode visitar sua biblioteca local para pegar livros emprestados.

2. Use uma luz vermelha

Minha esposa geralmente adormece antes de mim, e é nesses momentos que eu prendo minha luz vermelha de leitura na testa. Por que vermelho? Segundo Michael Breus, autor de The Power of When, a luz vermelha auxilia na produção de melatonina. Já as luzes fortes têm o efeito oposto.

E, de acordo com The Sleep Health Foundation of Australia, luzes muito fortes ou uma tela brilhante podem fazer você se sentir mais alerta. Entretanto, a leitura antes de dormir deve ajudá-lo a relaxar, não a deixá-lo desanimado.

3. Torne seu telefone menos viciante

Via de regra, os telefones celulares são uma máquina de distração. Nossos telefones celulares são projetados para serem suaves, sexy e irresistíveis. Não acredita em mim?

Em seu livro Irresistible, o professor adjunto da Stern School of Business, Adam Alter, rapidamente explica tudo sobre os designs viciantes dos smartphones. Eles são como caça-níqueis de bolso.

Então, como você resiste ao desejo de alcançá-lo? Torne-o menos atraente. Além de limpar a tela inicial, mova também seu carregador para um cômodo distante. Assim, você adiciona uma etapa extra em seus momentos noturnos e matinais de baixa resiliência.

Se você precisar manter o telefone no quarto enquanto dorme, ative o modo “Não perturbe” para bloquear automaticamente chamadas e mensagens de texto após as 19h. 

Dessa forma, você vai aos poucos evitando que seu telefone se torne tão sedutor.

4. Use o sistema decimal de Dewey

Como você organiza seus livros? Por cor? Até quando você os comprou? Por grandes pilhas aleatórias em todos os lugares? Existe uma razão para toda biblioteca usar o sistema decimal de Dewey. Afinal, é o que faz sentido.

A partir desta lógica, os livros caem ordenadamente em categorias cada vez mais finas em torno de diversos tópicos, como psicologia, religião, ciência e arte, etc. Qual é a vantagem disso? Te induzir a fazer conexões, porque você vê onde estão suas grandes lacunas.

Após descobrir isso, passei um sábado organizando meus livros de acordo com o Sistema Decimal de Dewey e, agora, encontro livros mais rápido; sinto que minha leitura é mais objetiva; e que estou mais envolvida no que leio. Tudo isso porque eu posso sentir como isso se encaixa no meu cérebro.

De quais ferramentas você precisa para fazer isso? Apenas duas: o classify.oclc.org para pesquisar números decimais de Dewey para quaisquer livros que não tenham um código DDC na capa interna e o aplicativo Decimator para pesquisar o que esse número significa.

Além disso, eu também uso um lápis para escrever o código decimal de Dewey e a categoria na capa interna de cada livro antes de colocá-lo na estante.

5. Use podcasts e BookTubers  para resolver o dilema do “próximo livro”

Conforme você começa a aumentar sua taxa de leitura, o maior problema se torna “Bem, o que devo ler a seguir?” Ir além daquilo que está em alta nas listas de bestsellers significa mergulhar nas prateleiras das livrarias para ter a intenção de encontrar os livros que realmente mudam sua vida. Em uma era de escolha infinita, o valor da curadoria dispara. 

Podcasters e BookTubers são agora a máquina dos sonhos de um leitor, pois há vários para assistir e, assim, conseguir dicas de leitura. Inclusive, com resenhas detalhadas. Por exemplo, o podcasts “O que devo ler a seguir?” por Modern Mrs. Darcy aborda o problema de frente. Já o “Get Booked” de Amanda Nelson oferece recomendações de livros personalizados.

Também tenho meu próprio programa “3 livros”, durante o qual peço aos convidados que compartilhem três obras que mais moldaram suas vidas.

Por fim, para quem prefere vídeos, alguns canais iniciais viciantes são: Ariel Bissett e polandbananasBOOKS.

Aqui estão as nossas sugestões:

5 livros de introdução ao Libertarianismo

5 livros de ficção para quem ama liberdade

6. Pare de acompanhar todas as notícias

Eu já mencionei antes sobre como cancelei minhas cinco assinaturas de revistas e duas assinaturas de jornais para focar apenas em livros. Mas você sabe onde as notícias me seguiram? No meu celular.

É aí que você precisa ser mais incisivo. Para tanto, pare de seguir todos os sites de notícias em suas redes sociais e remova todos os favoritos dos sites de imprensa (remova todas as senhas também).

Lembre-se do que disse o cientista político Herbert Simon:

O que a informação consome é bastante óbvio: consome a atenção de seus destinatários. Portanto, uma riqueza de informações cria uma falta de atenção e uma necessidade de alocar essa atenção de forma eficiente entre a superabundância de fontes de informação que podem consumi-la.

Quer se aprofundar mais aqui? Recomendo a leitura de “Por que você deve parar de ler notícias” no Farnam Street. Bem como, “Cinco coisas que você percebe ao sair das notícias” no Raptitude.

7. Dê preferência para livros físicos

Como o autor Seth Godin me disse em uma entrevista: “As pessoas raramente lêem um livro no iBooks porque você está a um clique de verificar seu e-mail”.

Na prática, se pudermos ser interrompidos, alertados ou notificados, seremos. E isso não é bom para mergulhar profundamente em novos mundos. Então, o que eu sugiro? Livros reais. Páginas reais. Em papel real.

Afinal, apenas livros reais permitem que você seja o diretor completo do programa. Obviamente, entendo se você precisar de fontes maiores para enxergar ou se prefere audiolivros. Estou apenas dizendo que se você quiser ser um verdadeiro esnobe pelos livros pelo resto da vida como eu, deve se conectar com estes de verdade.

E, se você precisar usar um dispositivo, certifique-se de que o e-reader não possa receber notificações.

8. Fale com vendedores de livros locais

Minha vendedora favorita de todos os tempos é Sarah Ramsey, da Another Story Books, em Toronto. Lá, eu entro, começo a tagarelar, faço confissões, compartilho com o que estou lutando e, entre “hmms” e “hahs”, ela me avalia enquanto vagamos pela loja conversando por meia hora.

Logo, ela têm insumos para sugerir ​um bom livro para depois do meu divórcio, outro para antes da minha viagem à Austrália, e mais um enquanto luto com meus filhos.

Dessa forma, eu volto para casa com uma braçada de livros que se ajusta completamente ao meu estado emocional. Ou aonde eu quero ou preciso crescer, e que ressoam comigo em um nível mais profundo.

Portanto, se você acredita que os humanos são o melhor algoritmo (como eu), então faça essa experiência. Entre em sua livraria independente local, avalie a parede de Seleção da Equipe para ver quais interesses se alinham com o seu e, em seguida, peça que esta pessoa escolha para você. É uma ótima maneira de encontrar livros você podem te surpreender.

Considerações finais

Então, você está pronto para ler? Ansioso para ir a uma livraria? Ou você é uma daquelas pessoas que primeiro precisa ouvir alguma ciência sólida para ajudar a mudar seu comportamento?

Caso precise de mais alguns motivos, aqui estão alguns. Em 2011, a The Annual Review of Psychology disse que a leitura aciona nossos neurônios-espelho e abre as partes do nosso cérebro responsáveis por desenvolver compaixão e compreensão.

Outro estudo publicado na Science Magazine descobriu que ler ficção literária nos ajuda a melhorar nossa empatia e funcionamento social.

E, finalmente, um estudo da Emory University descobriu um aumento na conectividade do córtex temporal esquerdo das pessoas que leram seções de um romance na noite anterior ao teste. Esta área do cérebro associa-se à receptividade para a linguagem. Imagine os benefícios de longo prazo de abrir um livro todos os dias.

Em suma, a maioria de nós deseja ler mais livros. E isso é absolutamente possível. Não se esqueça: você é o que você come e você é o que você lê.

Portanto, continue virando a página.

Avatar

Por:

Desde 2015 o Ideias Radicais busca difundir o libertarianismo e ajudar a construir uma sociedade livre.

Relacionados

BitPreço