5 lições de liderança de Cristiano Ronaldo

36 anos: menos fôlego, nível de atuações caem, e a opção de asentadoria vai batendo na porta. Um roteiro típico na carreira de muitos craques do futebol, mas não para Cristiano Ronaldo.

Eleito cinco vezes melhor do mundomaior artilheiro da Champions League e da seleção portuguesa, Cristiano é um exemplo de disciplina, foco e trabalho.

Há 5 coisas a se inspirar e aprender com a liderança de Cristiano Ronaldo. 

1. Trabalhar duro

Aos 11 anos o português fugia do dormitório do clube em que treinava para treinar mais. Também há relatos de ex-companheiros em Manchester e Madrid.

Quanto estava em Turim, Cristiano continuou trabalhando duro. O zagueiro Medhi Benatia, então companheiro na Juventus, relatou sua surpresa com o ímpeto do português após uma partida.

“Quando chegamos, todos estavam vestindo roupas normais, mas ele colocou seus shorts, música e foi para a academia. Aí eu pensei: ‘esse cara não é normal’, afirmou.

Não à toa, a frequência, constância e intensidade foram premiadas com 5 Bolas de Ouro da France Football, evidenciando que trabalho duro dá sim resultado.

2. Manter-se no topo

O que se faz depois de escalar o Everest? Qual o maior desafio após chegar ao topo de sua profissão? Manter-se no topo. 

Em 2007 o atacante venceu tudo em Manchester e foi eleito melhor do mundo, mas não foi suficiente: se manteve entre os principais “no auge” até os dias atuais. 

Há dezenas de lendas no futebol com temporadas incríveis, mas praticamente ninguém se manteve no auge por tanto tempo. É exemplo de dedicação, foco e constância que diversos outros craques não o tiveram.

Dessa forma, apesar dos 35 anos, Cristiano continua superando suas próprias metas. O início da temporada 2020, por exemplo, foi o mais goleador em sua carreira, com 10 gols em seis jogos. Aos 36, tornou-se o maior artilheiro de todas as seleções. E continua seguindo seu nível de atuação na Inglaterra, no Manchester United, e na seleção de Portugal.

3. Resiliência

Resiliência é a capacidade de se adaptar a diferentes situações de dificuldade. Controlar as emoções para perseverar em momentos desafiadores é fundamental tanto na vida profissional quanto na pessoal.

Em outras palavras, talento e trabalho duro não significam nada diante de aptidão mental. 

Não à toa, ao ser perguntado qual a sua maior habilidade, Cristiano não responde que é a finalização, velocidade ou drible: é sua mentalidade e foco mental.

4. Busca por novos desafios

Após ganhar o mundo na Inglaterra, Ronaldo quis buscar novos desafios: foi para a Espanha reconstruir o Real Madrid, à época ofuscado pelo Barcelona de Guardiola. 

Levaram anos para desbancar os catalães, mas com Cristiano o time conquistou o tricampeonato consecutivo da Liga dos Campeões, algo inédito na Era Moderna. 

Aos 33 anos, idade que muitos atletas já pensam na aposentadoria, ele decidiu tentar repetir o feito mais uma vez na Itália, fazendo história na Juventus. Apesar de não conquistar o torneio europeu em Turim, Cristiano marcou 101 gols e 22 assistências, em 134 jogos, ajudando o clube a levantar cinco troféus.

Após a empreitada, decidiu voltar para o Manchester United na reconstrução do clube em que é ídolo e que não conquista títulos desde 2017.

5. A liderança pelo exemplo de Cristiano Ronaldo

Cristiano parece obcecado por títulos individuais, mas trata-os como consequência de bons trabalhos coletivos. 

Falam do Cristiano líder com a imagem dele incentivando companheiros na final da Euro de 2016, mas é bem mais do que isso: ele lidera pelo exemplo. 

Assim, o “efeito” Cristiano Ronaldo vai além da capacidade de fazer gols e jogadas em campo. Segundo o atacante Douglas Costa, após a chegada de CR7 à Juventus, a gordura corporal do elenco diminuiu por influência do craque.

Cristiano é, então, muito mais do que um grande goleador e vencedor de títulos: ele extrai as melhores individualidades dos seus companheiros. Todos ganham.

As lições que ele traz vão além do campo, com diversas ações de caridade e exemplos. Entre elas, o fato dele não ter tatuagens no corpo por manter o hábito de doação de sangue: caso fizesse algum desenho no corpo, teria de ficar um ano sem doar.

Sim, definitivamente, temos muitas coisas a aprender com Cristiano Ronaldo.

, , ,

Daniel José

Por:

Mestre em economia, especialista em educação e deputado estadual de São Paulo.

Relacionados

BitPreço
Settee