Como essas 13 empresas estão combatendo o Coronavírus

//Como essas 13 empresas estão combatendo o Coronavírus

Como essas 13 empresas estão combatendo o Coronavírus

Com mais de 220 mil casos e mais de 9 mil mortes, o coronavírus provocou a declaração de estado de emergência em diversos países do mundo. Nas regiões em que o coronavírus ainda não se alastrou tanto, a população está sendo orientada a evitar sair de casa. Em meio a esse caos, algumas empresas se destacam por estarem combatendo o coronavírus a partir de algumas iniciativas.

Desde a liberação de serviços pagos para entretenimento na quarentena à produção de álcool em gel, a iniciativa privada está sendo um importante cooperador para a redução no número de contágios e para a manutenção da normalidade em meio a essa crise.

Uber

A empresa divulgou em seu site que “Qualquer motorista ou entregador parceiro diagnosticado com o coronavírus ou que tiver quarentena solicitada por uma autoridade de saúde pública receberá assistência financeira durante até 14 dias enquanto sua conta estiver suspensa”. 

A empresa calculará o valor do auxílio baseando-se nos rendimentos médios dos colaboradores durante os últimos seis meses.

Além disso, a Uber disse estar disponibilizando recursos para manter os carros limpos, priorizando as cidades mais afetadas pelo vírus.

Ifood, UberEats, Loggi e Rappi

A startup criou um fundo de R$ 1 milhão para entregadores infectados ou em quarentena. Os entregadores receberão a ajuda por 14 dias, que é a estimativa do período de incubação do vírus. O fundo será gerido pela ONG Ação da Cidadania.

Em paralelo, empresas de delivery (Ifood e UberEats, bem como a Loggi e a Rappi), estão fazendo recomendações para entregas e pagamento que envolvam o mínimo de contato possível entre entregadores e clientes, como deixar as entregas na porta e o uso de pagamento contactless.

Google

A gigante da tecnologia liberou, até o dia 1° de julho, funções do Hangouts Meet que eram pagas, com o intuito de ajudar empregados, professores e alunos.

A ideia é ajudar as pessoas interessadas a se manter conectados e produtivos em meio à propagação do coronavírus.

Ambev

A cervejaria divulgou em suas redes sociais que estaria usando as suas fábricas para produzir meio milhão de unidades de álcool em gel (5.000 para cada unidade de saúde) para distribuir para os locais em que a propagação da doença é mais crítica (Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo).

Facebook 

A empresa anunciou no dia 17 a criação de um fundo de US$ 100 milhões para ajudar até 30 mil empresas afetadas pela pandemia ao redor de 30 países. Esses recursos ajudarão essas pequenas empresas com custos operacionais, pagamento de aluguel, folhas de pagamento e despesas relacionadas a comunicação, por exemplo.

Xiaomi

A chinesa doou, no dia 9, dezenas de milhares de máscaras do tipo FFP3 para a Itália.

“Somos ondas do mesmo mar, folhas da mesma árvore, flores do mesmo jardim”. Isso é o que estava escrito nos caixotes enviados ao Departamento de Proteção Civil da Itália.

Alibaba

O fundador da multinacional, Jack Ma, divulgou no seu Twitter o envio de 1 milhão de máscaras e 500 mil kits de teste do coronavírus para os Estados Unidos. Posteriormente, no dia 16, ele anunciou também o envio para a Etiópia de 1.1 milhão de kits de teste para a doença, 6 milhões de máscaras e 60 mil roupas de proteção para uso de profissionais de saúde.

Burger King Brasil

A rede de restaurantes anunciou no dia 16 em seu Instagram que doará parte da sua receita líquida do restante do mês para o SUS. Além disso está incentivando o uso de aplicativos de delivery por parte dos consumidores, para evitar maior contágio.

Louis Vuitton

Da mesma forma que a Ambev, a LVMH, controladora da Louis Vuitton, está usando suas fábricas de perfume para produzir álcool em gel. A empresa optou por doar o álcool para hospitais públicos da França. De acordo com a empresa, eles continuarão destinando seus recursos para esse fim “enquanto for necessário”.

Claro/NET

Enquanto isso, em virtude de quarentenas e de distanciamento social, a operadora de televisão liberou quase todos os canais do seu catálogo. Outras empresas do setor, como a Sky TV, Oi TV, Vivo TV, Telecine e Globoplay liberaram alguns canais para assinantes.

Luan Sperandio é Editor do Ideias Radicais

Gostou deste conteúdo? Então apoie o Ideias Radicais! Afinal, apoiadores recebem vários benefícios, entre eles uma carta mensal sobre o que o Ideias Radicais está fazendo, além de webinars com a equipe.

Por | 2020-05-14T08:37:43-03:00 20/03/2020|Empreendedorismo|Comentários desativados em Como essas 13 empresas estão combatendo o Coronavírus