Como criar um grupo de estudos em 5 passos

//Como criar um grupo de estudos em 5 passos

Como criar um grupo de estudos em 5 passos

Por Silviane Sousa*

As ideias da liberdade avançaram nos últimos anos no Brasil, este é um fato inegável. Esse avanço só foi possível graças ao trabalho de muitos indivíduos e organizações, do passado e do presente.

A tradução de livros e conteúdos, além da produção de material nacional (livros, textos, vídeos) gerou um nicho de libertários formados pela internet. Ao mesmo tempo, são pessoas que dificilmente tiverem a oportunidade de conhecer pessoalmente outros que partilhem de suas ideias e valores.

Nesse sentido, juntar pessoas em torno das ideias de liberdade é não apenas enriquecedor, mas inspirador. Assim, muitos desejam criar uma organização que permita divulgar essas ideias em sua cidade. Porém, muitos nem sequer possuem ideia de como iniciar ou mesmo alguém que lhes ajude.

Para ajudar nesse processo, decidimos formular um breve guia com 5 passos para ajudar quem desejar criar o próprio grupo de estudos e ser protagonista na expansão do libertarianismo.

1) Encontrar pessoas

A formação de um grupo de estudos é um dos passos mais importantes no movimento pró liberdade. Para a sua estrutura inicial é necessário que você encontre outras pessoas que defendam valores semelhantes aos seus. 

O seu grupo de estudos pode ser vinculado a uma instituição de ensino, sobretudo se houver outros libertários em sua escola ou faculdade. Essa conexão costuma servir como ponto de encontro para planejamento e realização de atividades e eventos.

Para um grupo nascer, porém, não precisa haver um grande contingente de libertários. Às vezes, basta um grupo de interessados por política e que estejam dispostos a aprender mais sobre. O libertarianismo pode não ser o escopo central do grupo, mas uma das correntes estudadas, por exemplo. Integrantes com pensamentos divergentes costumam resultar em debates mais produtivos e desafios intelectuais contínuos.

Nessa etapa inicial, a criação de um grupo de WhatsApp pode ajudar na interação e organização entre os interessados. Reuniões por hangout para organização de atividades ou mesmo para discussão de leituras pode ser um bom começo caso os integrantes morem em localidades muito afastadas.

Para ajudar a encontrar outros libertários, o Ideias Radicais criou o Mapa da Liberdade. Ao se cadastrar você pode tanto descobrir os grupos já existentes quanto os próximos eventos na sua região.  Assim, o processo de captação de pessoas é facilitado.

Também é possível cadastrar o seu grupo e informações para que outras pessoas o conheçam e entrem em contato.

2) Criar uma Identidade para seu grupo

Agora que você já conheceu outras pessoas interessadas na criação do grupo, o próximo passo é a criação de uma identidade para ele.

Em geral, a identidade se manifesta no nome escolhido para o grupo. Ele pode ser, por exemplo, uma homenagem a algum intelectual da liberdade, fazer alusão ao local onde você reside ou ainda uma referência a alguma instituição de ensino ao qual o grupo é vinculado.

Exemplos:

  • Grupo Domingos Martins, em referência ao ativista político e um dos líderes da Revolução Pernambucana Domingos José Martins (1781- 1817);
  • Clube Farroupilha, em alusão à Revolução Farroupilha (1835-1845)
  • InsperLiber, o grupo criado pelos alunos do Insper (São Paulo).

E não esqueça de criar uma identidade visual que combine com o nome escolhido. Caso você não seja muito habilidoso em ferramentas de design mais complexas, como o photoshop, há ferramentas mais simples como o Canva que são bem simples de usar.

3) Criar conexões

Nessa fase com o grupo já formado e com sua identidade bem definida, é importante desenvolver a comunicação digital. A presença do seu grupo nas mídias sociais é fundamental para atrair novo membros e serve como mais uma forma de divulgação das ideias de liberdade.

Então, você deve criar páginas nas redes sociais (sobretudo Facebook e Instagram) com o nome e uma logo. O objetivo é facilitar a troca de informações entre seus integrantes e divulgar as atividades do grupo para o público externo. O fortalecimento da marca do grupo pode ajudar a atrair mais pessoas para seus eventos e a captar recursos para financiar suas atividades.

Quando o grupo já possui uma quantidade razoável de membros, divida as tarefas entre eles. Designar pelo menos um integrante para ficar responsável pelo conteúdo e comunicação nas nas redes sociais é fundamental.

4) A Hora da ação

Após as primeiras atividades e algum crescimento, o grupo precisa estruturar um cronograma de acordo com o modelo que deseja trabalhar. Pode ser um debate sobre temas específicos, a organização de palestras ou até ações solidárias, entre outros eventos possíveis.

O importante é ter foco no planejamento garantindo a continuidade das atividades, frequência e encontros dos integrantes. Caso o grupo esteja vinculado (mesmo que não oficialmente) a uma universidade, é importante se atentar para os calendários acadêmicos para que não haja conflitos com o público ou a sobrecarga os integrantes do próprio grupo: marcar um evento em semana de provas finais não é boa ideia, por exemplo.

O segredo aqui é que o planejamento contemple ao menos 3 meses de programação e seja cumprido sem falhas, até o grupo se habituar e possa realizar planejamentos maiores. 

Tenha sempre em mente que o local dos encontros deve ser de fácil acesso. Além disso, o grupo deve se preparar para eventuais imprevistos. Mudanças de data e local devem ser informadas com antecedência para manter a credibilidade do grupo e a participação efetiva de seus membros.

No cronograma deve haver as datas, os temas a serem abordados e os responsáveis pela condução. Se a principal atividade for a de um clube de leitura, por exemplo, é importante repassar antes o conteúdo que será discutido. Dessa forma, todos os participantes terão tido tempo de ler e poderão contribuir para um debate mais qualificado.

No caso do estudo se tratar de uma obra, ela pode ser dividida em tópicos ou capítulos específicos, garantindo que não fique cansativo para os participantes. Uma opção é definir que cada encontro será discutido um tópico até o seu encerramento. 

Dica Bônus: Para atrair o público em geral, você pode aproveitar assuntos quentes que estejam causando impacto e utilizá-los como tema de discussão. Por exemplo, um julgamento polêmico prestes a ser votado pelo plenário do STF ou uma reforma proposta pelo governo e que esteja em evidência.

5) Organizando Eventos do seu grupo

A organização de eventos garante que o público externo conheça o grupo e ajuda a integrar novos membros que até então não o conheciam. 

Independente do tamanho do evento, a dica para ele ser bem sucedido é um planejamento com um bom tempo de antecedência.

Esse é um pequeno roteiro com algumas dicas para o seu evento ser um sucesso:

  1. Defina o seu formato: Seja palestra, evento de imersão, evento social como uma ida a um bar ou uma uma ação social, é fundamental que o formato seja o primeiro passo. A depender deste, haverá maior demanda por recursos. Pensando nisso, leia este texto em que explicamos como captar recursos e conquistar apoiadores.
  2. Escolher o tema do evento e decidir a sua duração. Aqui você também deve ser capaz de responder á pergunta: quem será meu público alvo?
  3. Em seguida é escolhida a data do evento, observando sempre se elas são boas tanto para os organizadores, para os palestrantes (se for o caso) quanto para o público. Observe se a data não coincidirá com semana de provas e finais de período, bem como feriados.
  4. A escolha do espaço deve ser feita com bastante zelo observando a estimativa do público esperado. Isso precisa ser feito com antecedência para haver tempo suficiente para uma divulgação eficiente do evento.
  5. O próximo passo será convidar os palestrantes para seu evento, baseados no tema escolhido. Lembre-se que caso tenha convidado alguém bastante conhecido e renomado, o tópico anterior deve ter uma atenção extra: o espaço escolhido deve ser capaz de comportar o público esperado.
  6. Depois de fechados os palestrantes, chegou a hora de fazer as artes para divulgação. É essencial solicitar fotos e um minicurrículo, zelando por uma arte bem-feita e com boa resolução, informações claras e objetivas, de forma que transmita respeito às pessoas convidadas e seja convidativo ao público. É importante frisar que tanto eventos gratuitos quanto pagos podem ser criados em plataformas como o Sympla ou similares. Isso oferece a vantagem de acompanhar a quantidade de inscritos e com isso se programar melhor.
  7. Há diversos tipos de marketing para o evento. É importante utilizar diversos canais de divulgação, seja solicitar divulgação dos próprios palestrantes, fazer página nas redes sociais para divulgação, seja por e-mail, gravação de vídeos etc. No site do Ideias Radicais é possível realizar o cadastro de seu evento, o que permite o envio automático de e-mails para todas as pessoas cadastradas em nossa relação que estejam há 50km do local do evento. Além disso, todas as pessoas visualizarão todos os detalhes do evento que você realizará.
  8. No dia do evento, se atente para as seguintes questões:

             I.        A divisão de tarefas e o alinhamento entre a equipe desde o início ajudará na sua execução.

            II.        Ao final do evento é preciso não esquecer de agradecer a todos que prestigiaram, os palestrantes e os patrocinadores. 

          III.       A emissão e o envio de certificados com horas complementares é um dos incentivos para comparecimento em eventos para estudantes universitários. 

Considerações finais

Formar um grupo de estudos pode não parecer tarefa fácil, mas é bem mais simples do que se imagina. O principal é ter disposição para mantê-lo ativo e dedicação para conseguir consolidá-lo. Um grupo de pessoas que possuem o compromisso em expandir as ideias de liberdade também ganharão em experiência e habilidades. A experiência adquirida ao desenvolver atividades para o grupo certamente serão úteis no mercado de trabalho. Gestão de pessoas, captação de recursos, oratória, marketing, escrita, promoção e organização de eventos serão diferenciais na hora de se candidatar a uma vaga de emprego, por exemplo.

Além disso, são abertas oportunidades a partir do networking. Isso pode acontecer com os integrantes do grupo, lideranças de outras organizações do movimento libertário, além de grandes organizações e até personalidades e intelectuais que apoiam a liberdade. Você pode, inclusive, acabar trabalhando profissionalmente desenvolvendo as ideias da liberdade.

 *Silviane Sousa é Diretora de Comunidade no Ideias Radicais

Por | 2019-07-10T09:37:02-03:00 10/07/2019|Libertarianismo|Comentários desativados em Como criar um grupo de estudos em 5 passos