4 maneiras que os cartórios podem utilizar blockchain

Quando precisamos ir ao cartório, é comum sentirmos desânimo pela baixa expectativa que temos em relação ao serviço que nos é prestado hoje. Com um sistema burocrático que demanda tempo e dinheiro dos cidadãos, os cartórios brasileiros parecem ter parado no tempo. Nesse sentido, a sua modernização por meio da tecnologia blockchain surge como uma boa alternativa, podendo ser utilizada em pelo menos quatro áreas.

1. Autenticação de documentos 

Os cartórios permitem fechar e selar transações comerciais importantes todos os dias. Eles verificam a autenticidade dos documentos e dos parceiros de negócios sempre que um simples contrato não é suficiente.

Isso pode ser feito ainda mais rápido no futuro em um sistema baseado em blockchain. Com essa tecnologia, uma vez que um documento tenha sido assinado, ele pode ser apresentado eletronicamente e permanecer imutável por meio de seu armazenamento na blockchain.

Apesar disso, os suplementos poderiam ser anexados digitalmente. E, a pessoa confiável que originalmente colocaria o documento no ambiente confiável seria alguém que as empresas tradicionalmente confiam. Por exemplo, um advogado ou um tabelião.

Assim, a impressão, a autenticação e o arquivamento de documentos podem ser drasticamente reduzidos. Além disso, a eficiência dos processos também pode ser aumentada.

2. Registro e transferência de propriedade

A compra de um bem imóvel como casa ou carro é muitas vezes um grande passo tanto para indivíduos como para empresários. Quer se trate de um novo ramo de negócio ou do caminho à sua casa própria: o registro no órgão estatal responsável; o pagamento dos impostos sobre a transação; e o cumprimento de todas as formalidades é um processo muito tedioso com inúmeros intermediários.

Dessa forma, a tecnologia blockchain ajuda a acelerar esses processos e reduzir o esforço de indivíduos e cartórios. Isso porque os processos entre as autoridades, os compradores e os vendedores podem ser quase totalmente digitalizados. Por exemplo, os tabeliães podem confirmar vários contratos de compra em um período de tempo mais curto.

3. Armazenamento digital de documentos sigilosos

Muitos clientes desejam armazenar dados altamente confidenciais na blockchain. Frequentemente, são documentos confidenciais e sigilosos, como uma procuração ou um testamento em vida. E o armazenamento e a autenticação desses documentos confidenciais devem ser garantidos como totalmente seguros.

Às vezes, no entanto, é importante que um documento também possa ser apresentado em um curto espaço de tempo. Por exemplo, um testamento vital. E isso será possível por meio da blockchain.

Um testamento em vida ou uma procuração preventiva não devem cair nas mãos erradas e, às vezes, precisam ser acessadas rapidamente. Como resultado, esses documentos são frequentemente armazenados com muita segurança em um cofre no cartório ou em outro local seguro.

No entanto, imprevistos não acontecem apenas em horário comercial. Então, a disponibilidade de acesso ao cofre é um elemento a ser considerado na escolha do local de proteção.

Um local de armazenamento digital e criptografado de forma apropriada seria na blockchain. Por meio dessa tecnologia, ele pode ser acessado, por exemplo, com um aplicativo em um smartphone ou um programa no computador.

Na prática, a interface do usuário pode ser projetada de forma que apenas alguns cliques sejam necessários para acessar o documento desejado. Além disso, o acesso seria protegido por impressão digital, senha ou leitura facial.

O cliente pode, por exemplo, dar a amigos e familiares acesso a documentos individuais ou permitir que médicos e hospitais acessem um testamento vitalício.

Em suma, a tecnologia blockchain proporciona armazenamento e acesso seguro e rápido a todos os tipos de documentos. Para tanto, os cartórios digitalizariam os documentos e os colocariam no blockchain. Assim, a confiança na integridade dos dados estaria sempre garantida.

4. Tokenização de ativos

A tecnologia blockchain está na boca do povo e novos campos de negócios estão se abrindo constantemente. Uma dessas áreas é a tokenização de ativos como ações, obras de arte ou até mesmo carros. Com a blockchain, esses ativos podem ser negociados digitalmente e os cartórios podem ser úteis no processo de tokenização que auxiliaria a atividade a ser bem-sucedida.

Em geral, bens móveis e imóveis, materiais ou imateriais, podem ser tokenizados. Desde carros, casas, relógios ou valores mobiliários. Os “tokens” são, em princípio, os representantes digitais de um objeto real, em que o objeto físico é separado em ações de propriedade e direitos de exploração.

Assim, os ativos podem ser divisíveis à vontade e, portanto, transferidos de maneira econômica, segura e rápida. Dessa forma, surgem novos mercados líquidos, que permitem que até mesmo pessoas com orçamentos menores possam investir pelo menos em partes de um fundo valioso.

No futuro, empresas e pessoas físicas também poderão tokenizar e negociar objetos de valor. Alguém deve, entretanto, garantir ao comprador potencial que o objeto de valor realmente existe e também dizer-lhe onde o objeto está localizado e em que condições se encontra.

Este novo tipo de serviço poderia ser prestado por cartórios e advogados: grupo profissional que já conta com a confiança de todos. Essa confiança será ainda mais importante no futuro, a fim de construir a ponte entre os ativos analógicos e o token digital.

Na prática, as  inovações digitais não apenas substituem empregos, mas também criam novas oportunidades. Portanto, a blockchain surgiu para trazer novas possibilidades e oportunidades para todos os setores da economia, empresas, cartórios e consumidores.

,

Avatar

Por:

Desde 2015 o Ideias Radicais busca difundir o libertarianismo e ajudar a construir uma sociedade livre.

Relacionados

BitPreço